Voltar

Sustentabilidade

Alternar
Sustentabilidade
Resposta
19/12/13 10:53

A discussão sobre sustentabilidade está aberta, englobando o que já foi discutido e produzido sob os títulos de "Sustentabilidade Financeira" e "Responsabilidade Social". Além disso, foi acrescido conteúdo sobre sustentabilidade ambiental.

O texto base para discussão, proposta pela COPERA-PDI, pode ser alcançado aqui.

Todos os textos e compilações das discussões anteriores estão disponíveis. Os fóruns virtuais sobre os temas "Sustentabilidade Financeira" e "Responsabilidade Social" também estão disponíveis.

O PDI vigente está disponível aqui.

Participe com suas sugestões para que possamos construir juntos o futuro da nossa Universidade.

Utilize a opção "Responder" (acima) para deixar sua colaboração.


RE: Sustentabilidade
Resposta
19/12/13 17:39 em resposta a Mauro Schramm.

O Texto Base Sustentabilidade contém extenso conteúdo histórico e conceitual sobre os temas de responsabilidade social, ambiental, fiscal e financeira. O texto tem característica de relatório.

Como sugestão acredito que falta exprimir a politica atual e futura da Furb para nortear as ações dos gestores.

Tomando por base o capitulo 1.1 Responsabilidade Social, isto fica muito claro. No texto são colocadas as ações feitas, faltando a politica futura.                                                                                                                                                      No capitulo 1.2 Responsabilidade Ambiental resalta-se a menção de politicas datadas de 1999 e 2000, mas internamente pouco se vê em termos de ações que validem estas politicas, gastamos muito papel, copos de plástico, não reciclamos corretamente o lixo que geramos. As metas que foram elencadas estão bem. porém a Furb precisa exprimir qual será a polica do meio ambiente e inserir toda a comunidade acadêmica neste contexto.   Quanto ao capitulo 1.3 Responsabilidade Fiscal, sustentabilidade financeira, entende-se que a Furb tem seguido as regras praticadas pelo poder publico municipal, fazendo a gestão de acordo com o orçamento, também aqui como sugestão poderia ser incluido algumas metas para nortear os gestores responável pela operação.

 

Atenciosamente

 

Ciel Antunes de Oliveira Filho

CCSA   

    


RE: Sustentabilidade
Resposta
19/12/13 18:21 em resposta a Mauro Schramm.

A FURB tem um papel muito importante no desenvolvimento regional. Isso é inquestionável.

E este é um fator muito pouco divulgado.

Apesar de pública, a Universidade precisa do pagamento das mensalidades dos alunos para se manter. Este é um calcanhar de Aquiles, já que a comunidade entende que público e gratuito são sinônimos. Essa situação atípica nos causa alguns inconvenientes. Os alunos acham que o preço é caro, os fornecedores acham que a FURB tem dinheiro e inflacionam os preços, o governo federal acha que não tem nada com isso já que a FURB é municipal e o governo municipal não tem como manter a Universidade. Com tantos "empecilhos", precisamos urgentemente identificar e divulgar nossos feitos, principalmente os que afetam a comunidade a comunidade.

Talvez seja o momento de irmos até a comunidade e perguntarmos o que representa a FURB para eles? No que se percebe a sua contribuição para a comunidade? Nós que estamos vendo a coisa por dentro, já temos apenas uma parcela da informação. O que dizer de quem só sabe da Universidade pelos meios de comunicação de massa?

A FURB já tem um portfólio considerável de responsabilidade para com a comunidade. Preservação ambiental, projetos junto às escolas, NPJ, informação para a comunidade, distribuição de mudas de árvores nativas, cálculo da inflação regional, atendimento à saúde através do ambulatório de referência, clínicas especializadas, Hospital Universitário, projetos com os catadores de lixo reciclável e muitas outras. São muitas as ações que são realizadas e pouco divulgadas. 

Muito ainda pode e deve ser feito, mas é urgente a necessidade de identificarmos e divulgarmos o que já se tem.

 


RE: Sustentabilidade
Resposta
20/12/13 09:15 em resposta a Mauro Schramm.

Os departamentos têm uma excelente oportunidade de incorporar os princípios e práticas da Responsabilidade Social no cotidiano por meio da Plano Departamental que deverá ser implementado em 2014.

O Plano Departamental deverá prever e contemplar estratégias para o desenvolvimento humano e treinamento no local de trabalho para a incorporação e apreensão dos princípios que norteiam a Responsabilidade Social, sobretudo com relação à Governança Institucional, práticas ambientais equilibradas e sustentáveis, direitos do consumidor e envovimento  e desenvolvimento da comunidade.

 

 

 


RE: Sustentabilidade
Resposta
20/12/13 14:19 em resposta a Mauro Schramm.

A FURB como Universidade tem papel fundamental para com a comunidade. como já foi citado ela oferece vários serviços à comunidade. Mas qual seria essa comunidade? Qual o alcance de suas políticas, por exemplo, nos moradores de Blumenau? 

Meio Ambiente: nessa semana mesmo escutei de um colega que o meio ambiente "é lá fora"!, pouco preocupado com os copos plásticos utilizados em excesso. Enquanto não conseguirmos socializar com toda nossa comunidade interna os princípios de responsabilidade ambiental, não iremos alcançar a comunidade como um todo.

A questão financeira sempre está em foco, pela característica pública da Universisade, mas com a cobrança de mensalidades. Os caminhos pela federalização parecem sempre mais distantes, ao passo que o modelo atual continua atendendo às necessidades. A pergunta sempre é: até quando conseguiremos continuar com esse modelo?

Acredito que os fórus do PDI deveriam ter maior participação da comunidade interna, e talvez, pensar em fazer parte das atribuições dos servidores.

 


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 00:03 em resposta a Mauro Schramm.

Como professores, alunos, pesquisadores e gestores somos todos responsáveis por nossas ações com o planeta e com a comunidade. Desse modo, a FURB e as demais Universidades, em conjunto com os órgãos governamentais têm responsabilidade de desenvolver políticas públicas, sociais, econômicas e ambientais, formar gestores, orientar a comunidade acadêmica e a população em geral buscando desenvolver responsabilidade ambiental e social. O desafio é colocar em prática estas ações. Sabemos que a instituição já tem ações neste sentido, mas precisamos avançar mais. É uma tarefa difícil, pois implica em mudança nos valores da sociedade atual, que prioriza a produção e o consumo. Acredito que cada curso deve prever no seu plano departamental um regulamento que inclua educação ambiental, inclusão social e reflexão sobre os valores atuais, e a divulgação desses conteúdos. Como sugestão indico o vídeo “A História das Coisas ”que mostra um pouco da realidade do mundo atual com relação à produção e consumo.

http://www.youtube.com/watch?v=7qFiGMSnNjw


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 00:22 em resposta a Mauro Schramm.

O Documento que trata da Responsabilidade Ambiental está bem elaborado buscando estruturar um Sistema de Gestão Ambiental  que atenda a Politica Nacional de Educação Ambiental. Descrever as competências pode ser simples, mas a implementação para o cumprimento da legislação nos diferentes campi da FURB pode requerer um maior rigor nas ações. A Educação Ambiental deve ser continua e o documento do PDI na parte de Responsabilidade Ambiental deve deixar clara a metodologia a ser empregada para que o resultado seja alcançado com sucesso. Também concordo que a discussão e implementação deve fazer parte dos Planos Departamentais, e deve ser criado uma politica de cursos de atualizações na reciclagem de materiais, tratamento de resíduos laboratoriais, descarte adequado, entre outros temas que a COMA  considerar importante.


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 10:16 em resposta a Mauro Schramm.

Com relação à sustentabilidade ambiental, verifica-se que não há observância de práticas ambientalmente responsáveis no cotidiano de grande parte dos servidores da FURB e da comunidade acadêmica. No caso, (i) utiliza-se muito papel desnecessariamente; (ii) há descarte inadequado dos materiais de expediente e afins; (iii) os computadores, algumas vezes, ficam ligados fora do horário de expediente, e até mesmo nos finais de semana, por simples esquecimento; (iv) o ar condicionado, muitas vezes, é ligado sem necessidade; (v) utiliza-se muitos copos descartáveis de água ou café, diariamente; (vi) há muito gastos de energia por se utilizar equipamentos antigos; dentre outros.

Tais práticas equivocadas, na verdade, poderiam deixar de existir, com a simples "conscientização" desse público, começando pelos servidores. Então, a própria IES deveria: (i) reativar campanhas para a redução e separação de lixo, e de economia de água, energia, papel e demais materiais de expediente; (ii) fornecer, subsidiar ou incentivar o uso de copos de vidro, ou equivalente, para agua e café; (iii) trocar, aos poucos, ar-condicionados, lâmpadas e outros eletrônicos que desperdicem energia; e (iv) pensar no setor de arquitetura construções que possam utilizar energia solar.

 

 


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 13:57 em resposta a Mauro Schramm.

A FURB possui um biotéio central e dois setoriais, o que significa produção de rejeitos que acabam sendo destinados a aterro sanitário classe I, com alto custo. Proponho a construção de duas composteiras para o destino da maravalha suja produzida pelos 3 biotérios a fim de produzir adubo para uso na jardinagem, reduzindo custos e lixo produzido.

O uso de recursos renováveis também pode ser feito, como a instalação de cisternas para captação da água da chuva para limpeza de calçadas e uso no biotério central localizado no campus V.

Com maior ocupação do campus V, respeitando a legislação ambiental, pode-se planejar prédios com maior aproveitamento da luz natural, diminuindo o consumo de energia elétrica.  


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 16:17 em resposta a Mauro Schramm.

Antes de apresenar uma proposição mais efetiva sobre práticas de sustentabilidade,é fundamental compreender que as propsotas de sustentablidade estão fundamentadas em novos padrões de modelo de desenvolvimento do modo de produção capitalista. Assim, ao propor e/ou ensinar práticas de sustentabilidade a instituição de ensino estará reproduzindo uma nova forma de reprodução da lógica capitalista de produção. Porém, enquanto instiuição de ensino, inserida na realidade capitalista, cabe aos Furbianos proporcionar ações que efetivamente, diminuam os impactos da FURB sobre o ambiente e, dar o maior número de bons exemplos na relação com os recursos nataurais. Assim, não só seguir a legislação ambiental, mas também, efetivar programas, como os que já existem e criar novos, tais como: captaçõ de água da chuva e seu armazenamento em cisternas para o reaproveitamento nas lavações de calçadas, fachadas e nas irrigações de jardins. Criação de mecanismos de compostagem. Desenvolver políticas junto aos cursos das áreas tecnológias para a produção de pequenos veículos elétricos que possam circular nos campi levando e trazendo materiais de escritório, limpeza e demais demandas.


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 17:28 em resposta a Mauro Schramm.

Conforme Estatuto da FURB, as decisões na Universidade são descentralizadas, pois, são tomadas por decisões colegiadas, ou seja por conselhos, CEPE, CONSUNI, Conselhos de Unidade e, existe a participação das pró-reitorias, dos centros, departamentos e colegiados, evidenciado uma democracia.

Nesse contexto, vivemos num contexto macro onde necessitamos da formação continuada quanto às normativas que regem e guiam as ações na Universidade.  Assim, entendo que as questões relacionadas à sustentabilidade devem estar nas temáticas da formação institucional bem como, ser tópico de discussão nas reuniões de Conselho de Centro e Departamento.  A partir do momento que conseguirmos levantar questões e discutir constantemente temáticas sociais/políticas/econômicas em nossas reuniões setoriais e estas passarem a fazer parte do dia a dia dos servidores/alunos, deixarào, talvez, de ser somente pontos de resoluções e normativas.

Assim, entendo que a a formação contínua deve ser um tópico abordado no material.  Formação aqui entendida também, como os momentos de discussão nas reuniões setoriais e, nestes casos importante que membros dos grupos de trabalho estejam disponíveis para as discussões ou para formar novos formadores.


RE: Sustentabilidade
Resposta
23/12/13 23:10 em resposta a Mauro Schramm.

Ao pensarmos em sustentabilidade (ambiental, economica, social, etc), nos remetemos à responsabilidade da FURB que deveria ser a de prover o mercado de trabalho dos profissionais, dotados de capacidade de assimilarem as necessidades das organizações nas quais estiverem inseridos e ainda comprometidos com a preservação do patrimônio histórico e cultural, com a inclusão social, a defesa do meio ambiente e o desenvolvimento econômico.

Temos em nossa instituição a possibilidade de revisão permanente de nosso planejamento, o qual em nosso entendimento é direcionado: em primeiro lugar para a manutenção de nossa estrutura (física, de RH, etc), em segundo lugar para nossa atualização (conforme exigência para a manutenção do status de universidade) e em terceiro lugar em nosso planejamento estratégico.  Portanto o desenvolvimento da universidade é fortemente marcado pela tentativa de mantê-la economicamente viável. Vejamos: o viés das ações de gestões passadas remontam à saúde financeira, a implantação do ciclo dos cursos da área da saúde, a expansão da estrutura física, a reorganização administrativa entre outras. Se pensarmos em sustentabilidade ambiental e social, temos diversas iniciativas, mas, poucas duradouras. A instituição opera por projetos, os quais possuem começo, meio (execução) e fim. Logo, a maioria de nossas ações dependem de pessoas: elas não são institucionalizadas. Nosso planejamento estratégico deveria, portanto, direcionar os olhares da universidade permanentemente para a comunidade em que estamos inseridos.

Existe uma confusão acerca do que são nossas necessidades e quais são nossas responsabilidades. Primeiro, temos que suprir nossas necessidades sem comprometer o futuro conciliando necessidades presentes as das gerações futuras. Mas como dimensionar o presente e futuro se não temos como definir nossas necessidades? No início, na década de 1968, nossa atividade acadêmica exigia um determinado ambiente-espaço-recurso-tempo-tecnologia. Ontem nossas exigências mudaram e nossas exigências de hoje são outras, elas (as necessidades) chegaram e foram embora como ondas. A falarmos de exigências, por mais que tenhamos nos descuidado de nossa comunicação com o ambiente externo (leia-se comunidade regional), somos um reflexo do que nosso cidadão exige. Logo, nossas necessidades são a diferença entre o que nosso cliente (aluno) exige e aquilo que não podemos fornecer. Então, a questão não trata de nossas necessidades, mas das necessidades de nossos clientes (alunos) que não conseguimos atender, mas que nos garantirão a forma de pensar (daí sim) na manutenção das futuras gerações. Se pensarmos “o futuro é hoje” ou “futuro começa agora” estaremos incorrendo no erro de ações reativas e nunca estratégicas. Devemos pensar “hoje é o passado” e “o passado aconteceu agora” e buscar aquilo que é tendência, aquilo que o que nosso aluno (cliente) ainda não sabe que precisa, ou, quer. Temos que pensar estratégicamente, preventivamente, se quisermos pensar no futuro.


RE: Sustentabilidade
Resposta
24/12/13 17:11 em resposta a Mauro Schramm.

Sustentabilidade em um instituição do porte de uma Universidade passa obrigatoriamente por aquilo que é sua essência: Ensino, Pesquisa e Extensão. Independe da forma da sustentabilidade (ambiental, física, econômica, etc.), é o tripé que faz da FURB uma Unbiversidade, que deve ser levado em consideração todo o momento, e principalmente, em um documento da impistação de um Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). O PDI deve e precisa prever ações que envolvam colaboradores, acadêmicos e fudamentalmente, comunidade. Em um texto como esse, se espera proposições pontuais, mas que precisam ser "maiores" (macros) quando falamos em SUSTENTABILIDADE. A premissa que não deve ser esquecida é que sustatentabilidade caminha lado a lado com responsabilidade. Isso é fundamental.


RE: Sustentabilidade
Resposta
01/01/14 20:46 em resposta a Mauro Schramm.

Indubitavelmente, não há como negar o papel fundamental da FURB na comunidade, representando uma grande responsabilidade na formação de alunos e cidadãos.

Como destacado em postagens anteriores, diversos programas e projetos já são desenvolvimentos e executados pela Universidade, como por exemplo, as feiras de economia solidária, incubadora tecnológica, programas de interação FURB, práticas desportivas, biblioteca pública, canal de televisão, Rádio Furb, dentre muitas outras. No entanto, para delineamento de um novo plano de desenvolvimento institucional (PDI), concordo com os comentários de que falta divulgação do que a FURB tem de melhor. Apenas para ilustrar, me tornei aluno neste ano de 2013, e justamente neste ano conheci inúmeros serviços realizados pela FURB que não detinha o conhecimento, sendo que moro em Blumenau aproximadamente 20 anos.

Da mesma forma, várias ações relevantes foram destacadas como a campanha para redução de desperdícios, captação de água da chuva, captação de energia solar, dentre outras, que creio ser fundamentais, pois entendo que são práticas discutidas em sala de aula, e a própria Universidade não está fazendo esta lição de casa. Enfim, entendo que todos projetos tem um custo/benefício, e que terão um impacto perante a comunidade. Mas pensar no que a FURB necessita neste momento, acredito ser a inclusão do aspecto ambiental no objetivo estratégico, metas e ações do PDI vigente (2010-2015), pois sem ele a sustentabilidade não se complementa, a nossa política não se completa, e com ele nos fortalecemos com o engajamento de todos num objetivo institucional. Como ações se podem trabalhar intensamente em programas de capacitação internos que envolvam servidores, professores e alunos, para futuramente se estender à sociedade; e consolidar os programas vigentes. E assim, vivenciar as práticas pedagógicas do aspecto ambiental (aumentar as preocupações) assim como nos preocupamos com os resultados econômicos da Universidade – nada mais é do que equiparar os valores e ajustá-los na cultura local, e posteriormente regional.

Já foram feitos programas sólidos mas entendo que faltam se consolidar, em contrapartida as metas ficaram estáticas desde 2006, conforme texto base. Para que possamos avançar na temática, precisamos destas metas claras e em marcos determinantes comparar e observar os avanços que tivemos.


RE: Sustentabilidade
Resposta
06/01/14 18:47 em resposta a Mauro Schramm.

As discussões sobre sustentabilidade começaram a ganhar destaque a partir do momento em que o ritmo de produção e consumo passou por um grande aumento, sendo que esse ritmo não leva em consideração que vivemos num planeta de recursos finitos.

Ao longo dessas discussões aparece a sustentabilidade na visão de Elkington: o triple botton line, apontando para a sustentabilidade econômica, social e ambiental e é nesse sentido que a Universidade pode desempenhar o seu papel, contribuindo nessas três frentes ao formam futuros profissionais que poderão guiar a sociedade para esse novo rumo que passa a ser imprescindível para garantir a sustentabilidade do planeta.

É notável a preocupação da FURB em relação à sustentabilidade e suas contribuições para uma sociedade mais sustentável, preenchendo lacunas que não são alcançadas pelo poder público por meio dos seus projetos nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.

Contudo, não só a universidade deve desempenhar seu papel, mas também seus colaboradores, alunos e demais envolvidos precisam estar atentos aos seus valores em relação ao meio ambiente, consumo e relacionamento com os seus semelhantes, conscientes de que as ações individuais são como pequenos tijolos que edificam algo maior. 


Sustentabilidade
Resposta
13/01/14 08:58 em resposta a Mauro Schramm.

A idéia dos textos iniciais de cada um dos temas do eixo Sustentabilidade foi de dar uma pincelada nas políticas mundiais, nacionais, regionais e locais. Para a FURB é necessário que as políticas sejam efetivamente incorporadas pela sua comunidade (que a construiu participativamente) de modo que as práticas virem "rotinas" (como por exemplo as políticas relacionadas aos programas de gestão de resíduos perigosos). Vivemos em uma sociedade de consumo, de descarte e modo de produção capitalista (e dentro da Univerdade, a pesquisa gera na experimentação consumo e descarte), e que muitos nem se dão conta do quanto consomem, nem para onde vai todo esse resíduo. E como uma IES pública inserida nesse modelo, também existem as regras fiscais que precisam ser apropriadas, pois estamos lidando com orçamento público. Sinto falta de estudos na FURB sobre permacultura, sobre bioconstrução, sobre adaptação dos nossos prédios para captação de água da chuva/armazenamento, sobre a geração/coleta/tratamento do nosso esgoto. A necessidade de compostagem dos resíduos de saúde já vem sendo percebida há anos, mas parece que (às vezes) existem forças ocultas (com uma pitadinha de politicagem) que fazem com que algumas coisas não aconteçam. A Coordenadoria do Meio Ambiente teve muita força enquanto estava vinculada ao IPA, depois que foi para a DAC (junto com o coordenador da época) se desestruturou, perdeu força e suas metas foram esquecidas. A Geovani sempre permaneceu como responsável pelos resíduos perigosos, assumiu os demais programas (junto com toda a carga de trabalho dela) e foi levando adiante sem muito apoio, mas sozinha também não consegue fazer milagres. A reestruturação da CMA é urgente.


RE: Sustentabilidade
Resposta
15/01/14 16:25 em resposta a Mauro Schramm.

O texto base proposto discorre, entre outros, sobre as ações e os projetos desenvolvidos pela FURB em prol da comunidade, em número significativo. No entanto, tanto o público interno não tem conhecimento total sobre estas atividades como o público externo, em muitos casos, não as associa com a instituição.  É imperiosa a melhoria na divulgação destas ações e atividades, para uma maior participação interna e também, enaltecendo a participação dos discentes, para demonstrar o diferencial de nossa instituição e assim, através deste marketing, auxiliar no objetivo de mantê-la economicamente viável.

É também um desafio a melhoria de resposta às necessidades da sociedade, pois como o texto base: “atendimento às necessidades e demandas contemporâneas, por meio de uma estrutura educacional inovadora e diferenciada.”. Para tal, o conhecimento de novas tendências é necessário para atender, de forma estruturada e no tempo certo, aos novos cenários e efetivamente, cumprir o que o texto propõe.

Na parte ambiental, é imprescindível a reestruturação da CMA (Coordenadoria de Meio Ambiente) ou órgão equivalente e seu fortalecimento, pois parte dos programas (programa de Gestão de Resíduos Sólidos, por exemplo) não atingem seus objetivos, seja por pouco comprometimento, tanto interno como externo, ou estrutura. Um setor/órgão estruturado e atuante, capacitado para receber e aplicar programas e ações, propor metas e administrar o cumprimento destas é necessário para o atendimento das questões na instituição e fomentar o já citado comprometimento.


RE: Sustentabilidade
Resposta
15/01/14 20:46 em resposta a Mauro Schramm.

Como citado anteriormente, a FURB até mesmo por ser uma instituição pública municipal tem papel fundamental no desenvolvimento regional, seja na qualificação e formação dos profissionais, ou até mesmo no auxilio direto a comunidade em geral, via hospital universitário, ambulatório geral, biblioteca pública, ações voluntárias etc.

 

Toda esta estrutura da Universidade, já vem sendo utilizada pela população, porém nem toda a comunidade tem conhecimento disto. Conforme já consta no plano, muitas atividades já estão sendo praticadas, várias metas já foram atingidas, porém a Universidade peca na falta de divulgação (ou foco da divulgação), na qual poderia alcançar com certeza um universo maior de pessoas beneficiadas.

 

Por outro lado, muito ainda precisa ser feito. Talvez devido ao seu tamanho, a FURB acabou não acompanhando como deveria as mudanças tecnológicas que auxiliam o meio ambiente, e o resultado disso é o uso de lâmpadas não econômicas, aparelhos de ar condicionado que gastam muita energia e etc. Porém além do aspecto material, os servidores, professores e consequentemente os alunos não exercem em sua plenitude a responsabilidade social que se acredita que deveria ser exercida, principalmente no sentido de maior conscientização ao que tange a economia de água, luz, papel, separação de lixo etc.

 

Desta forma, melhorando estes aspectos, já se da pode dar um pequeno passo, mas que é de fundamental importância, nesta longa jornada, de, sobretudo conservarmos o mundo que vivemos.


RE: Sustentabilidade
Resposta
21/01/14 11:41 em resposta a Mauro Schramm.

Ao observar os diversos processos existentes na FURB envolvendo questões de sustentabilidade e relacionando-os com os programas de pesquisas existentes e as pós-graduações, pode-se perceber que há uma ampla possibilidade de ampliar e reunir forças para dar maior abrangencia e aderencia aos programas na instituição.

Se pegarmos um pequeno exemplo, a Casa Modelo, no Campus II onde temos varias pesuisas ali colocadas onde temos a coleta de chuvas, o reaproveitamento desta água em diversos aspectos, energia solar em aproveitamento para enrgia fotovoltaica e termossolar, produção de biogás, entre outras atividades como o biodiesel a partir do óleo de cozinha que toca um gerador de energia diesel. Ao se observar isto e colocarmos na amplitude dos campi, poderiamos ter uma combinação de fatores úteis e possíveis de implantação e aplicação em vários itens que seriam de utilidade insttucionais e terima seu fatr multiplicador envolvendo aspectos além da sustentabilidade.

Ao envolver-se os alunos de gradução e pós-graduação em pesquisas e desenvolvimento se ampliaria a rsponsabilidade social além da sustentabilidade, se daria uma maior responsabilidade a todos na FURB como co-participantes nos programs de coleta de óleo, recilagem de produtos, claro que com a revioração da CMA e simplicação das ações desta, ampliação dos recursos destinados a esta com reversão de recursos obtidos com a economia advinda dos programas, percentualmente.

Há necessidade de criar programas simples de linguagem simples, não burocráticos, ampliar a divulgação de forma intensa e constante e mostrar a toda a comunidade o que se esta fazendo e convidar a ela a participar.


RE: Sustentabilidade
Resposta
26/01/14 01:50 em resposta a Mauro Schramm.

É imprescindível que o crescimento econômico seja conciliado aos problemas sociais e ambientais causados pela produção e consumo insustentáveis. Diante disso,  nos últimos anos, diversos órgãos tem se dedicado a estudar, pesquisar e defender ações sustentáveis e de responsabilidade social. Nesse sentido, a FURB, como universidade pública, e preocupada com suas obrigações diante da sociedade, tem utilizado de suas capacidades e competências para desenvolver programas de melhorias de vida ao seu entorno.

Os diversos programas já criados e implementados estão voltados para seus servidores, alunos e comunidade em geral. Nota-se preocupação em diversos campos. No educacional, com a abertura da biblioteca à comunidade; de acessibilidade: para portadores de deficiências; valorização do funcionário: com plano de carreira; esportes e teatro; conservação do patrimônio; comunicação: através da tv e do rádio; inserção social; incubadoras tecnológicas e ambiente: programas de resíduos, água e energia.

No entanto, mesmo com todos esses programas de sustentabilidade e RS, vejo que gestos simples não tem sido incentivados ou divulgados para servidores e alunos: diminuir gasto de papel, de energia, de separação do lixo, embora existam latas separadas para organização dos materiais, muitos não sabem utilizá-las de maneira adequada.

Gestos simples de servidores e alunos trarão à Universidade um ambiente sustentável. E a divulgação de seus programas fará com que a comunidade conheça os programas para ela desenvolvidos, para que possam, de fato, disfrutar de seus benefícios, auxiliando também na sustentabilidade mundial.


RE: Sustentabilidade
Resposta
29/01/14 20:28 em resposta a Mauro Schramm.

Promovemos em 2006 um curso de extensão universitária de iniciação para gestores e multiplicadores internos em RSA. Na época a FURB ensaiava a publicação de um Balanço Social que era erroneamente organizado pelo marketing, pois não havia um sistema de gestão nessa área a legislação brasileira na época era recente:  norma ABNT 16001 (2004) e a NBC T-15 (Balanço social e ambiental). Tais documentos já indicavam a integração dos conceitos de responsabilidade social e ambiental em mais dimensões o que acabou resultando em uma orientação dada pela ISO 26000. A FURB deixou de mensurar e acompanhar de forma padronizada suas diversas ações como universidade, sem ter uma sistematização da evolução dos indicadores ano a ano.  O aspecto mais complexo dessa medição sem dúvida é o aspecto ambiental. Juntamente com a dimensão econômica, a sustentabilidade se revela não apenas no aspecto interno da instituição no cumprimento de sua missão, mas sim como disseminadora e educadora da comunidade nas atividades que em seu entorno contribuem para o amadurecimento e evolução dos indicadores de sustentabilidade de toda a comunidade de sua influência (através da pesquisa tecnológica, e transferência dessa tecnologia, educação ambiental, programas de extensão, etc.).

Um bom início para esclarecer esses conceitos aplicado às universidades sendo um guia para muitas instituições de ensino  superior é o Audit Instrument for Sustainability in Higher Education (AISHE) . A revista científica Journal of Education for Sustainable Development trata dos temas atinentes desses aspectos.

Recomendaria para o PDI.

a)      Atualizar a legislação principal de referência (ex: LEI Nº 12.187, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009 (plano Nacional de Mudança Climática), Normas Brasileiras (ABNT) e internacionais (ISO 26000), para formulação e/ou atualização das políticas da FURB.

b)      Seguindo as recomendações nas normas anteriores acrescentar ao SGA já existente a integração dos outros sistemas de gestão como o de RSA.

c)       Integrar no PDI no capítulo da Sustentabilidade, o tema da Responsabilidade Social.

d)      Publicar em modelo padronizado suas ações de responsabilidade sócio ambiental . A NBC-T15 é uma opção, mas em função da internacionalização da FURB há forte tendência para adoção do modelo do relatório de sustentabilidade do GRI (Global  Report Initiative) , adotado pelas principais universidades no mundo – Acesse:

https://www.globalreporting.org/resourcelibrary/Brazil-Portuguese-G3-Reporting-Guidelines.pdf    Para as universidades o GRI é complementado na sua especificidade com o indicadores educacionais Graphic Assessment Sustainability in Universities (GASU)  (http://www.org-sustainability.com/orgsust.php?str=gasu ) . A vantagem disso é que qualquer observador ou analista pode ter um instrumento de comparação internacional.

 

A primeira Universidade a dotar o GRI foi a Universidade Presbeteriana Mackencie no biênio 2011/2012. A FURB pode ser uma das pioneiras.

 

A FURB realiza ações fantásticas no aspecto da sustentabilidade.  Mas se analisarmos alguns aspectos podemos melhorar sempre. A exemplo:

 

a)      Práticas trabalhistas e condições das principais convenções da OIT (há lacunas sérias na segurança e acompanhamento da saúde do trabalhador)

b)      Combate a corrupção e controles internos.

c)       A FURB continua erguer prédios com tecnologias antigas, com baixa eficiência e aproveitamento de luz natural e conservação energética e de água. (Há projetos muito melhores sendo desenvolvidos).


Para participar do Fórum Virtual:

1º) Fazer o Login utilizando seu email da FURB (Servidores: seuemail@furb.br / Alunos: seuemail@al.furb.br )

2º) Entrar no tópico desejado (acima) e clicar na opção Responder.